Tribuna

Endereço

Rua Doutor Alencar de Lima, 26 Visualizar no mapa

Centro

CEP: 25620-050

Contatos

Telefone: (24) 2244-2444

Fax: (24) 2244+2447

E-mail: tribuna@e-tribuna.com.br Entrar em contato

Site: http://www.e-tribuna.com.br

Seu Nome:

Seu Email:

cancelar    

Período de funcionamento:
o ano inteiro
Horário:
Abertura:
2ª. feira 3ª. feira 4ª. feira 5ª. feira 6ª. feira sábado
08h 08h 08h 08h 08h 08h
Encerramento:
2ª. feira 3ª. feira 4ª. feira 5ª. feira 6ª. feira sábado
19h 19h 19h 19h 19h 14h
N° médio de exemplares:
7.000
Periodicidade:
diário
Forma de distribuição:
banca, assinatura, online
Valor:
R$: 1,20
Temática:
notícias, esportes, cultura, serviços, ambiental, publicitário, horóscopo, colunistas
Observações complementares:
O jornal Tribuna de Petrópolis foi fundado em 9 de outubro de 1902, período em que a cidade perdia seu status de capital do Estado do Rio de Janeiro e quando a Oliveira & Cia., empresa do leiloeiro Martins D’Oliveira, adquiriu o semanário O Povo. Previsto para sair em setembro, o primeiro número da Tribuna somente foi publicado no dia 2 de outubro daquele ano. Em 1903, Artur Barbosa assume a direção do jornal, transformando-o em um dos mais importantes da comunidade fluminense.

Em 1913, assume a diretoria Emílio Bogarth, que em 1914 é substituído por Raul Pitzer. No fim deste ano, Barbosa retorna, dividindo a direção com Álvaro Machado, ocupando o cargo até um período de inadimplência da empresa. Em 1940, assume como síndico da inadimplência o príncipe Dom Pedro de Orleans e Bragança. Em 1945, assumiu como diretor-presidente A. Castro Neves Filho, substituído por Guilherme Auler, que dirigiu a empresa até a década de 60, quando passou a direção a Darcy Paim de Carvalho, que dirigiu o jornal por quase uma década. Logo depois, assume a direção Alcindo Roberto Gomes.

Entre a década de 40 e 50, com Dom Pedro Orleans e Bragança à frente, a Tribuna consegue superar a crise de inadimplência, voltando a ocupar posição de destaque na comunidade. Em outubro de 1975, é decidida a questão da compra do prédio da Rua Alencar Lima como sede do jornal e, em 1977, a empresa é transformada de Sociedade Anônima para sociedade por cotas de responsabilidade limitada, assumindo a gerência Francisco de Orleans e Bragança, que em 1979 assume a presidência da empresa, iniciando uma série de transformações, consideradas uma segunda revolução na empresa. Sob sua administração, no anos 70 e até hoje, diversas mudanças ocorreram, adaptando às novas tecnologias.

A partir de meados da década de 90, com o processo de informatição pelo qual muitas empresas de comunicação passaram, a Tribuna deu início ao que pode ser classificado como um nova revolução. No dia 15 de outubro de 1995, o jornal surgiu nas bancas com nova diagramação, encomendada ao artista gráfico Felipe Taborda. Em 1996, atendendo reivindicação dos leitores, passa a contar com um serviço de agências de notícias, em nível nacional e internacional, inovando mais uma vez no mercado petropolitano.

A partir de 1997, a Tribuna passa a ser impressa em cores, graças a equipamentos de ultima geração adquiridos pela empresa. Atualmente, o jornal conta com o que há de mais moderno em equipamentos de informática, inclusive o sistema de FTP, que permite a transferência de materiais via internet, agilizando a entrega dos arquivos para serem impressos.
As informações foram fornecidas pelos prestadores de serviços, e esses são responsáveis pela sua exatidão. Esclareça diretamente todas as suas dúvidas antes de planejar a sua viagem.