Prédio da Catedral São Pedro de Alcântara

Endereço

Rua São Pedro de Alcântara, 60 Visualizar no mapa

Centro

CEP: 25685-300

Contatos

Telefone: (24) 2242-4300

Fax: (24) 2242-4300

Seu Nome:

Seu Email:

cancelar    

Imóvel de importância histórica:
sim
Protegido por lei de tombamento:
federal
Instituição responsável pelo tombamento:
IPHAN
Localização:
em propriedade pública
Pontos de referência:
Localizada próxima à Avenida Ipiranga.
Localidade mais próxima:
Centro
Distância até a localidade:
800 m
Distância do Centro (Ponto zero) do município:
800 m
Período histórico:
republicano
Estilo Arquitetônico:
arquitetura neo-gótica
Arquitetura religiosa:
catedral
A edificação possui:
esculturas, pinturas, murais, vitrais, mobiliário
Utilização original do atrativo:
Catedral
Utilização atual do atrativo:
Catedral
Nome da principal via de acesso:
Rua da Imperatriz.
Tempo necessário para chegar ao atrativo partindo da localidade mais próxima (em minutos):
08 min
Descrição do acesso:
plano
No acesso encontram-se atrativos:
históricos
Tipo de transporte:
ônibus regular
Outras informações:
Empresa:
Cidade das Hortênsias
Telefone: (24) 2103-9950, Site: http://www.salvini.com.br, E-mail: patricia@salvini.com.br
Empresa:
Viação Cascatinha
Telefone: (24) 2237-3599, Site: http://www.cascatinhatransportes.com.br, E-mail: adm@cascatinhatransportes.com.br
Período de funcionamento:
o ano inteiro
Horário:
Abertura:
2ª. feira 3ª. feira 4ª. feira 5ª. feira 6ª. feira sábado domingo
08h 08h 08h 08h 08h 08h 08h
Encerramento:
2ª. feira 3ª. feira 4ª. feira 5ª. feira 6ª. feira sábado domingo
18h 18h 18h 18h 18h 18h 18h
Visita:
autoguiada livre, guiada com número restrito de visitantes (quantos)
Informações ao visitante:
Guia de turismo / monitor:
pago
Entrada:
paga
Regulamentos para visitação:
permitido fotos e filmes, proibido entrar com alimentos, proibido bicicleta, proibida a entrada de animais, proibido jogos e esportes
DESCRIÇÃO DO ATRATIVO:
Em estilo neogótico francês, é uma obra monumental que consumiu a dedicação de gerações de artífices, engenheiros e artesãos. A porta de entrada, metalizada, foi executada pela escola de Aprendizes de São Paulo segundo desenho de Glash Veiga: cada folha pesa nada menos que 2.400 kg.

Na balaustrada, que abriga o coro, um dos maiores da América Latina, com 2.227 tubos, 33 registros e três teclados manuais.

Da torre é possível apreciar os cinco sinos de bronze, fundidos em Passau, na Alemanha, que pesam, em conjunto, nove toneladas. O maior deles, o “S. Pedro de Alcântara”, pesa quatro toneladas e tem uma vibração particularmente preciosa, que alcança 200 segundos.

A nave de mais de 70m de extensão, com quase 20m de altura na abóbada central, está repleta de obras de arte dignas de cuidadosa apreciação. O corpo original da construção foi executado em pedra aparelhada, com cantaria em granito. A cruz central, de granito negro, coroa o altar em bronze patinado, ônix e mármore Chiampo Pérola. É ali que estão guardadas as relíquias de três Santos Mártires – Santa Tecla, São Magno e Santa Aurélia – trazidas de Roma pelo Cardeal D. Sebastião Leme. O Cristo e os dois anjos que o ladeiam são de bronze, assim como as armas do Império do Brasil, que estão no paleoto. Sobre o altar, a inscrição “Et In Terra Pax”.

O batistério preserva a memória da primeira igreja da povoação, através da pia batismal transferida para o novo endereço, antes da demolição.

Um capítulo a parte são os vitrais, executados por Champneulle (Paris, de 1928 a 1932) e por S. Sargenicht, de São Paulo, com seus recortes de luz e cor.

Pela nave, em forma de ogiva e sustentada por colunas, entre as quais estão dispostas as “Estações da Via Sacra” assinadas por G. Berner e que vieram de Paris, em 1928.

Muitas esculturas em mármore de Carrara, com destaque para a de 2,80m de altura que representa o padroeiro,obra do escultor francês Jean Magrou, também são de sua autoria as imagens da Sagrada Família e de Cristo, dos altares laterais, e o conjunto de quase três toneladas com as imagens jacentes do Imperador Pedro II e da Imperatriz Teresa Cristina. O mausoléu foi inaugurado por Getúlio Vargas em 1939, após o traslado dos restos mortais dos imperadores que estavam, desde 1921, na Catedral Metropolitana, no Rio de Janeiro. Lateralmente e ao fundo, no mesmo local, estão as imagens jacentes da Princesa Isabel e do Conde D´Eu.
Observações complementares:
A entrada até a capela é gratuita, já para chegar à torre é cobrado uma taxa de R$8,00, havendo meia tarifa para estudantes de escolas privadas e idosos de 60 a 64 anos. Gratuito para estudantes de instituições públicas de ensino e maiores de 65 anos.



Os moradores da cidade tem direito a entrada gratuita às quartas-feiras e no terceiro domingo do mês (mediante à apresentação de RG e comprovante de residência). Horário de visitação da torre: De terça-feira a sábado das 10h às 17h. Capacidade para 15 visitantes por vez.
As informações foram fornecidas pelos prestadores de serviços, e esses são responsáveis pela sua exatidão. Esclareça diretamente todas as suas dúvidas antes de planejar a sua viagem.