Prefeitura de Petrópolis

Endereço

Avenida Köeler, 260 Visualizar no mapa

Centro

CEP: 26685-060

Contatos

Telefone: (24) 2246-9000

Fax: (24) 2246-9314

E-mail: gap@petropolis.rj.gov.br Entrar em contato

Site: http://www.petropolis.rj.gov.br

Seu Nome:

Seu Email:

cancelar    

Latitude:
22° 30' 18''
Longitude:
43° 10' 43''
População total (hab.):
296.044 hab (IBGE - 2010)
População urbana (hab.):
281.356 hab
População rural (hab.):
14.688 hab
Área total do município (km²):
811 Km²
Municípios limítrofes:
São José do Vale do Rio Preto, Miguel Pereira, Duque de Caxia, Magé, Teresópolis, Areal, Paraíba do Sul, Paty do Alferes.
Distritos:
Petrópolis, Cascatinha, Itaipava, Pedro do Rio, Posse.
Distância da capital (km):
67 Km
Temperaturas:
Média anual (ºC):
22º C
Mínima (ºC):
14º C
mês: julho
Máxima (ºC):
26º C
mês: janeiro
Período:
Chuva:
meses: de outubro a maio
Clima:
Tropical de Altitude
Altitude Média:
809,5 m
Principais atividades econômicas:
As principais atividades econômicas são o comércio e o turismo. O PIB municipal está em torno de R$3,596 bilhões (segundo dados de 2009).

No setor de serviços, destaca-se o Turismo como atividade propulsora de desenvolvimento representando 5,5% do PIB municipal (dados de 2009).

A cidade possui uma boa infraestrutura de hospedagem, bares e restaurantes o que reafirma sua posição como pólo de gastronomia, principalmente na região "Vale dos Gourmets" no 3º Distrito em Itaipava.

O setor industrial tem no ramo textil de confecções, presente em Petrópolis desde o século XIX, seu maior expoente. Com o seu desenvolvimento provocou a instalação do comércio varejista de confecções tendo como ponto de maior concentração a Rua Teresa que é um atrativo para o segmento de turismo de compras.

A cidade também apresenta como destaque o setor de agricultura onde a floricultura, fruticultura e olericultura são destaque em áreas produtoras de pequenas e médias propriedades.
Nome do Prefeito:
Rubens Bomtempo
Telefone:
(24) 2246-9320
Partido:
PSB - Partido Socialista Brasileiro
Nomes das secretarias, departamentos e outros:
Secretaria de Governo, Secretaria de Administração e de Recursos Humanos, Secretaria de Controle Interno,Secretaria de Educação, Secretaria de Esporte e Lazer, Secretaria de Fazenda, Secretaria de Habitação, Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável,Secretaria de Obras, Secretaria de Planejamento e Urbanismo, Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania, Secretaria de Saúde, Secretaria de Ciências e Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Agricultura, Secretaria de Segurança Pública, Coordenadoria de Comunicação Social/Editora do Diário Oficial, Fundação Municipal de Saúde, Fundação de Cultura e Turismo. COMDEP, CPTrans, INPAS, Coordenadoria de Chefia de Gabinete, Defesa Civil e Procuradoria Geral.
Órgão oficial de turismo:
Nome do órgão:
Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis
Titular do órgão:
Juvenil Reis dos Santos
Endereço:
Praça Visconde de Mauá, 305 - Centro.
Site:
http://www.petropolis.rj.gov.br/fctp
E-mail:
fctp@petropolis.rj.gov.br
Telefone:
(24) 2233-1200
Instância de governança municipal:
Existe instância de governança instituída no município:
sim
Informações:
Nome da instância:
COMTUR - Conselho Municipal de Turismo
Título do órgão:
Evany Noel
Caráter jurídico:
conselho
Composição da instância de governança municipal:
COMTUR - Conselho Municipal de Turismo.
Entidades públicas:
BPM- 26º Batalhão da Polícia Militar, Câmara Municipal de Petrópolis, Coordenadoria de Comunicação Social, COMDEP- Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis, CPTRANS- Companhia Petropolitana de Trânsito e Transporte, Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis, Guarda Municipal de Petrópolis, IBAMA- Instituto Brasileiro de Meio Ambiente, IPHAN- Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Museu Imperial, SETRAC- Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania, SINE- Secretaria do Estado de Trabalho, Secretaria de Educação, Secretaria de fazenda, Secretaria de Obras, Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Econômico e Secretaria de Desenvolvimento Sustentável.
Entidades privadas:
ABIH- Associação Brasileira de Indústria de Hotéis, ACEP- Associação Comercial e Empresarial de Petrópolis, AGFAP- Associação Grupos Danças Folclóricas Alemãs de Petrópolis, AGP- Associação de Guias de Turismo de Petrópolis, AMA- Associação de Moradores e Amigos do Centro Histórico da Cidade Imperial, ARTE- Associação dos Empresários e Amigos da Rua Teresa, Casa D'Itália Anita Garibaldi, CDL- Câmara dos Dirigentes Lojistas Petrópolis, CEP- Centro Excurcionista Petropolitano, CES- Centro de Ensino Supletivo, Clube 29 de Junho, ECOTEMA- Instituto de Ecologia e Tecnologia do Meio Ambiente, COOPETUR- Cooperativa Petropolitana de Turismo, FIRJAN- Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, Instituto Histórico de Petrópolis, Instituto Itaipava, ISCA- Instituto Samambaia de Ciência Ambiental, LEBOP- Liga das Escolas de Samba e Blocos de Petrópolis, Mitra Diocesana de Petrópolis, PC&VB- Petrópolis Convention % Vistors Bureau, SECP- Sindicato dos Empregados Comércio de Petrópolis, SINDIARTE- Sindicato de Artesãos Autônomos no Rio de Janeiro, UCP- Universidade Católica de Petrópolis e Universidade Estácio de Sá.
Entidades públicas e privadas:
SEBRAE- Serviço de Apoio a Micro e Pequenas Empresas, SENAC- Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, SENAI/CFP- Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, SESC- Serviço Social do Comércio e SESI/CAT de Petrópolis- Serviço Social da Indústria.
Lei orgânica do município:
5/4/1990
Legislação de ocupação do solo (Lei nº):
5.393 - 25/05/1998
Plano de desenvolvimento do turismo (Lei nº):
6.771 - 22/07/2010
Legislação de proteção ambiental (Lei nº):
6.732 - 11/03/2010
Legislação de apoio a cultura (Lei nº):
6.330 de 23/03/2006
Plano diretor (Lei nº):
6.070 - 13/12/2003
Aniversário da cidade:
16/03
Santo Padroeiro:
São Pedro de Alcântara
Dia do Santo:
19/10
Feriados municipais:
nome / dia: Chegada dos Primeiros Colonos Alemães - 29 de Junho, nome / dia: Consciência Negra - 20 de Novembro
Abastecimento de água:
Tipo de abastecimento:
água tratada
Empresa responsável:
Grupo Águas do Brasil / Águas do Imperador
Percentual de domicílios atendidos (%):
95 %
Serviços de esgoto:
Tipo de esgotamento:
rede de esgoto, estação de tratamento
Empresa responsável:
Grupo Águas do Brasil / Águas do Imperador
Percentual de domicílios atendidos (%):
64 %
Serviços de energia:
Tipo de abastecimento de energia:
rede urbana
Empresa responsável:
AMPLA - Energia e Serviços S.A.
Percentual de domicílios atendidos (%):
100 %
Voltagem:
110 V
Serviços de coleta de lixo:
seletiva
Empresa responsável:
COMDEP - Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis.
Percentual de domicílios atendidos (%):
96,4 %
Existe tratamento e reciclagem para os resíduos:
sim
Formas de acesso a internet:
a radio, a cabo, a telefone banda larga, telefone discada, wireless, 3 G
Operadoras de celular que atuam na localidade:
Oi, Claro, Tim, Vivo
Número de visitantes:
Total de visitantes:
600.000
Número de visitantes por procedência:
Atrativo 1:
Museu Imperial
Atrativo 2:
Museu Casa de Santos Dumont
Atrativo 3:
Cervejaria Bohemia
Origem do nome:
O nome da cidade foi uma homenagem ao Imperador D. Pedro, assim Petrópolis significa "Cidade de Pedro".
Data da criação:
16/03/1843
Data da emancipação:
1857
Fundadores:
Bernardo Proença: recebeu uma sesmaria no Alto da Serra onde hoje está quase toda a cidade de Petrópolis; Antônio Tomás de Aquino Correia - Padre Correia; Engenheiro Júlio Frederico Köeler e Paulo Barbosa - Mordomo da Casa Imperial.
Fatos de importância histórica:
Tudo começou em 1830, quando o D. Pedro I adquiriu a fazenda do Córrego Seco para construir uma residência na serra: era preciso providenciar um lugar onde a Família Imperial pudesse escapar aos sufocantes verões da Quinta da Boa Vista.

Na Europa do séc. XIX, palácios especialmente construídos e vilas em locais privilegiados surgiam para marcar uma tendência que, partindo da nobreza europeia, chegaria mais tarde aos plebeus, como um direito adquirido: as férias.

Para o veraneio (ou “vilegiatura”, como se chamava então), os czares russos tinham a sofisticada São Petersburgo, assim como os reis da França, o Palácio de Versailles: no jovem Império do Brasil, os nobres também esperavam poder se dedicar, por alguns meses no ano, a um modo de vida mais descontraído, com altas doses de arte, diversão e contato com natureza. Porém, vários cidadãos respeitáveis da Corte torciam o nariz para o projeto: D. Pedro I, diziam, escolhera mal. Tudo o que existia em Córrego Seco, rebatizada de Imperial Fazenda da Concórdia, era uma vila de passagem que mal podia oferecer o mínimo aos homens e cavalos que cruzavam suas poucas ruas poeirentas, a caminho das Gerais. Para piorar, o lugar destinado a abrigar o centro da cidade era pouco mais que um pântano,coalhado de insetos e sujeito aos caprichos de rios que, com frequência, escapavam dos leitos! Mas alguns ainda apostavam no empreendimento: dentre eles, o filho do Imperador, o menino Pedro, acostumado a temporadas inesquecíveis na fazenda vizinha do Padre Corrêa.

Porém, em 1831, as reviravoltas da política levaram D. Pedro I a abdicar do trono e partir para Portugal. O futuro Pedro II, príncipe criança, ficou para trás, preparando-se para governar um país gigantesco, então controlado por confusas regências. Durante mais de 12 anos, tudo parecia indicar que o projeto “Povoação – Cidade de Petrópolis” acabaria esquecido para sempre numa das gavetas de seu idealizador, o Mordomo Imperial Paulo Barbosa.

Quem poderia retirar a Fazenda Imperial do esquecimento e torná-la mais do que uma simples vila de passagem, sempre coberta pela neblina? Para responder a esta pergunta, foi preciso surgir um homem acostumado a realizar obras que muitos considerariam impossíveis e em situações adversas: o engenheiro militar Júlio Frederico Koeler.

Nascido no Grão-Ducado de Hesse-Darmstadt e, naturalizado brasileiro, Koeler era um engenheiro militar. Em 1837, construíra vários trechos da Estrada Normal da Serra da Estrela e da Estrada do Itamaraty sem utilizar mão-de-obra escrava: para tanto, convencera um grupo de colonos germânicos que aportara no Rio de Janeiro - e que estava insatisfeito com o tratamento recebido no navio Justine - a ficar no Brasil, desistindo de imigrar para a Austrália.

Convencido de que aquele era o homem mais indicado para edificar, do nada, a sua cidade, D. Pedro II assinou, em 16 de março de 1843, o decreto 155, pelo qual arrendava a Koeler a Imperial Fazenda da Concórdia, ex-Córrego Seco, com a condição de que ele edificasse, não apenas a povoação, mas também o seu Palácio de Verão, uma igreja e um cemitério. Recordando-se da experiência bem sucedida com os colonos do Justine, Koeler trouxe cerca de dois mil colonos germânicos para Petrópolis ao longo do ano de 1845: e cumpriu sua promessa. De seu empenho, emergiu a Petrópolis Imperial, primeira cidade planejada da América Latina, com seus rios domados e contornados por jardins, seu palácio e casarões, praças e recantos privilegiados. Dali por diante, o destino estava traçado: a menina dos olhos do Imperador estava fadada a uma vocação grandiosa. Um encanto que ainda se renova para os visitantes – e para aqueles que têm o privilégio de viver aqui.



Fonte: http://www.petropolis.rj.gov.br/

Petrópolis Imperial – História, Natureza e Muito Mais – Press Kit - 2010



Integra o conselho regional de turismo?:
sim
Qual?:
Conselho de Turismo da Serra Verde Imperial
Outros conselhos:
Fórum Estadual de Secretários, Dirigentes Municipais de Turismo
Nome da instituição:
Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis
Site:
http://www.petropolis.rj.gov.br/fctp
As informações foram fornecidas pelos prestadores de serviços, e esses são responsáveis pela sua exatidão. Esclareça diretamente todas as suas dúvidas antes de planejar a sua viagem.